Erval 104,9 FM

Iniciativa Go To Market oferece capacitação para empresas locais buscarem mercado internacional

Santa Catarina segunda-feira, 23 de novembro de 2020




Iniciativa Go To Market oferece capacitação para empresas locais buscarem mercado internacional

Sebrae/SC lança ações de internacionalização que incentiva empreendedores catarinenses a desenvolverem maior competitividade para atuarem dentro e fora do país A fim de ajudar micro e pequenas empresas de Santa Catarina a serem mais competitivas e reconhecidas internacionalmente, em 2020, a gerência de Internacionalização do Sebrae/SC realiza o Programa Go To Market, como uma das iniciativas da ação SC+Global.
Para o gerente de Internacionalização do Sebrae/SC, Filipe Gallotti Peixoto, toda empresa deve buscar oportunidades para conquistar mais mercados. E, para isso, tem que haver um aumento da competitividade. De que forma? Melhorando processos, equipes, buscando aumento sustentável e novas receitas e, se possível, sem ficar dependente apenas do mercado interno.
“Uma coisa que já está muito clara é que as barreiras competitivas cada vez mais começaram a desaparecer. Antes se falava em exportação no intuito de colocar nossos produtos e serviços no mercado externo e competir fora do país, mas hoje sabemos que os concorrentes estão aqui, atuando e ofertando para os nossos clientes”, afirma Gallotti.
Adaptação para os novos tempos
O Programa Go To Market, que originalmente era 100% presencial, em 2020, com a crise do novo coronavírus, teve que se reinventar diante do atual cenário. Ainda no início da pandemia, passou por uma transformação e hoje tornou-se 100% digital.
O objetivo, segundo Gallotti, é oferecer aos empresários catarinenses conteúdo qualificado a respeito do tema internacionalização, através das ações do Programa Go To Market, para que diariamente se questionem quais as melhorias que podem ser feitas nos seus negócios. Além disso, os eventos online contam com explicações técnicas para que os empreendedores entendam as exigências e necessidades do mercado estrangeiro e assim obtenham conhecimento de forma construtiva e prática.
“Querer atuar fora do país e por consequência obter melhores resultados no mercado doméstico, exige que a empresa esteja de acordo com as exigências. Acreditamos que sai na frente quem estiver preparado. Com certeza o aumento nos ganhos quem alcance quem tiver diferencial competitivo”, aconselha, Gallotti.
Conhecimento como vantagem competitiva
Com foco em aumentar a competitividade de mercado, as ações do Programa Go To Market, foram pensadas para o empresário que, independente do segmento e nicho que atua e do grau de conhecimento que tem sobre o tema, quer atuar competindo de igual para igual com os melhores do mercado, dentro e fora do país.
Ao se inscrever no Programa Go To Market, o participante tem acesso a:
30 conteúdos;
Encontros durante o período de um ano, a respeito da temática;
Avaliação de Maturidade (três aplicações: no começo, meio e ao final do Programa);
01 plano de ação, com as principais melhorias que deve realizar na empresa;
Mentorias;
Cursos de prática de línguas estrangeiras;
Acesso a inteligência e dados a respeito do seu mercado específico.
E tudo isso, de forma customizada, além de contar com subsídio por parte do Sebrae nas capacitações, consultorias e SebraeTec.
Neste primeiro ciclo, Gallotti comenta que, em função da Covid-19, não será possível, mas para os próximos anos, serão incluídos também acesso a feiras internacionais e rodadas de negócios e missões.
“Seja uma empresa atuante há anos no mercado ou uma empresa recém criada, nosso objetivo é conscientizar os empreendedores que as barreiras foram quebradas, que todos podem atuar em qualquer parte do mundo, contanto que saibam a maneira correta, sigam as exigências necessárias e estejam preparados para isso”, reforça o gerente do Sebrae/SC.
Ir além sem perder o fôlego
No novo formato 100% digital, Gallotti afirma que o primeiro ciclo do Programa foi um sucesso e que a procura conforme o esperado. Além de empresas catarinenses, também se inscreveram empresas fora do Estado, além de dois empreendedores de fora do país.
“Chegamos a um número de 100 inscritos que era o nosso objetivo, até para poder validar o que construímos, bem como também aprender com essa primeira etapa para a partir de então construir e aperfeiçoar as ações para os novos ciclos. Encerramos as inscrições de 2020 e já estamos com as inscrições de 2021 abertas”, afirma Gallotti, entusiasmado.
O gerente conta ainda que antes de encerrar o ciclo atual, de 2020, a gerência de internacionalização se reuniu e fez uma pesquisa interna com estes empresários que participaram e satisfatoriamente os comentários foram positivos, tanto pelos conteúdos entregues até este momento, como a respeito da metodologia, e momentos extras.
Gallotti conta que os empreendedores compreendem após as ações que para abrir um novo mercado internacional é preciso conhecimento, melhorar a estrutura e principalmente ter fôlego financeiro. Afinal, um novo mercado é como uma construção de uma nova empresa em terras internacionais é importante ter recurso para fazer os investimentos corretos.
Otimizar para avançar na crise
Para Gallotti, se tem algo que ficou claro durante a crise do novo coronavírus é que a pandemia fez com que todos evoluíssem digitalmente e isso inclui a gerência de internacionalização do Sebrae/SC, que precisou pensar nos mínimos detalhes para atender os empresários.
“Programamos o horário certo para apresentar os conteúdos, sem atrapalhar a rotina do empresário, programamos tudo de uma maneira que fosse fácil nos comunicarmos com eles e tentamos estar quase que 24h a disposição. De nossa parte, posso garantir que o Sebrae Santa Catarina, em nome da Gerência de Internacionalização focamos no que para nós é o mais importante, o bem estar do empresário. Afinal, o nosso lema é: Foco no cliente!”, brinca, Gallotti.
Realizado em época de pandemia ou não, Gallotti acredita que o Programa Go To Market é e deveria ser uma iniciativa presente na vida de todo empreendedor que quer ganhar novos mercados e deseja sair na frente da concorrência.
E, continua dizendo que a mensagem que deixa ao empreendedor é que o objetivo do Programa, com todas essas iniciativas do SC+Global, é fazer a diferença na vida dos empreendedores e de suas empresas. É, segundo o gerente, entender as necessidades do empresário e conseguir oferecer o maior número de “vitaminas” que ele precisa tomar diariamente para conquistar sua evolução.
Sérgio Mattos, da Artemano, empresa de Florianópolis, com mais de 10 anos de atuação na produção, importação e comercialização de revestimentos e pedras naturais, é um dos participantes do Programa em 2020 e afirma que foi buscar o Sebrae/SC porque precisava de conhecimento para iniciar no processo de internacionalização e expansão para outros países.
“Esse programa online, com palestras e entrevistas semanais nos trouxe muitos conhecimentos sobre diversos temas fundamentais que toda empresa que pensa em internacionalização tem que saber, tais como: Internacionalização de Marcas e Patentes, Captação de Recursos e Investimentos, Planejamento Estratégico para Internacionalização, Como Criar um e-commerce Internacional, entre outros”, comenta, Sérgio.
Equipe de Sérgio para o Programa
Divulgação
Ele afirma ainda que além de todo esse conhecimento gerado por meio de conteúdos, o Go To Market proporciona networking com outros empresários que também participam do Programa, além dos palestrantes e entrevistados.
Para ele, um fator essencial nesse processo de conhecimento da internacionalização, que envolve diversos fatores, desde entendimento de novas tendências internacionais no segmento, passando por estudo de novos competidores, adaptação das ofertas para se diferenciar em diferentes cenários, mobilização de mais recursos, até exposição a riscos e consideração das diferenças culturais.
Já para a empresária Joice Sabatke, proprietária da Açaí Selfsy, empresa no ramo alimentício, de Itajaí, o Programa do Sebrae/SC proporcionou segurança para encarar o desafio de ampliar a exportação de seus produtos.
Joice Sabatke, proprietária da Açaí Selfsy, empresa no ramo alimentício, de Itajaí
Divulgação
“Além de assistir as palestras online, fizemos o diagnóstico de maturidade de exportação para a Selfsy e participamos de duas consultorias focadas em estruturar as bases da nossa expansão de exportações. Hoje, exportamos para um distribuidor de alimentos brasileiros, em Portugal, mas, queremos ir além. E, tenho certeza que com o empenho do Sebrae em elevar a participação das empresas catarinenses ao patamar do mercado internacional, vamos conseguir!”, afirma, Joice, animada.


Principais do Dia